quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Decretada a indisponibilidade de bens do atual Gerente Regional de Saúde de Xanxerê e duas servidoras

O Ministério Público, através da 2ª Promotoria de Xanxerê, ajuizou ação de improbidade administrativa contra Airton José Tedesco, gerente regional de saúde, Lia Mara Pasinato Chaves e Ana Paula Oliveira Vilela, servidoras da gerência regional, imputando-lhes a prática de atos de improbidade administrativa que causaram enriquecimento ilícito e dano ao erário.

De acordo com a investigação feita nesse ano, restou apurado que Airton Tedesco utilizou em proveito próprio e para fins pessoais o veículo Renault/Logan, modelo EXP 16, placas MJM 0366, de pertencente à Gerência Regional de Saúde, deslocando-se diariamente entre seu trabalho nesta cidade e sua moradia na cidade de Xaxim/SC, entre os anos de 2012 a 2016, privando os servidores estaduais do uso desse veículo para atenderem os cidadãos.

Não bastasse isso, após ser ouvido na Promotoria de Justiça sobre os fatos, o gerente solicitou às servidoras na época responsáveis pelo setor de recursos humanos da entidade que inserissem informações falsas no sistema de controle de bens móveis da secretaria estadual de administração, criando assim viagens a trabalho fictícias e retroativas para então obter guias de utilização do veículo falsas, justificando assim o uso do carro e o gasto com combustível, além de tentar se isentar da investigação do MP.

Com base nesses elementos, o Juiz de Direito da 2ª Vara Cível da Comarca deferiu parcialmente o pedido liminar do Ministério Público, feito pelas promotoras Elaine Rita Auerbach e Luísa Zuardi Niencheski, decretando a indisponibilidade dos bens dos envolvidos até o valor necessário para arcar com o dano ao erário e as multas porventura aplicadas.


Nenhum comentário: